SEO ou Search Engine Optimization.

SEO Search Engine Optimization

É o processo que usamos para melhorar a visibilidade de um site... Mais informações »

Dicas Para Blog

Dicas Para Blog

Aqui você encotra tudo sobre personalização de blog... Mais informações »

Ganhado Dinheiro

Ganhado Dinheiro

Diversas formas de ganhar dinheiro com seu site ou blog... Mais informações »

Anuncie Aqui

Anuncie Aqui

Banner aleatório fica exposto de forma dinâmica, intercalando a divulgação com outro anunciante do site... Saiba Como »

Envie sua sugestão

Envie sua sugestão

Deixe sua sugestão para que possamos melhorar ainda mais a qualidade do nosso serviço... Envie sua sugestão »

Cloud Computing - Entenda a sua Importância

Mover os aplicativos para a nuvem. Gerenciar os sistemas na nuvem. Armazenar os arquivos na nuvem. Hoje em dia parece que tudo acontece "na nuvem".

Mas o que é exatamente este conceito nebuloso? A resposta rápida: a nuvem é algum lugar do outro lado da sua conexão de internet.

Um lugar onde você pode acessar aplicativos e serviços, e onde os seus dados são armazenados de forma segura.

Cloud computing, ou computação em nuvem, revolucionou a forma como as empresas e as pessoas consomem tecnologia por três motivos:

  • Não é necessário nenhum esforço da sua parte para gerenciar ou dar manutenção em aplicativos.
  • A nuvem é efetivamente infinita em tamanho, portanto você não precisa se preocupar em ficar sem capacidade.
  • Você pode acessar aplicações e serviços baseados na nuvem de qualquer lugar -- tudo o que você precisa é de um dispositivo conectado à internet.

Uma breve história de Cloud Computing
As raízes da Internet estão na década de 60, mas a sua relevância para os negócios só começou a ser percebida no início dos anos 90. A World Wide Web nasceu em 1991 e, em 1993, um browser chamado Mosaic foi lançado, permitindo que os usuários visualizassem páginas de texto com gráficos. Isso fomentou a criação dos primeiros websites corporativos e, não surpreendentemente, a maior parte deles era de empresas de computação e tecnologia.

Conforme as conexões de Internet se tornaram mais rápidas e confiáveis, um novo tipo de empresa, chamada de ASP (Application Service Provider ou provedor de serviços de aplicações), começou a surgir. Os ASPs gerenciavam aplicações de negócios já existentes para os seus clientes. Estas empresas adquiriam poder computacional e adminstravam as aplicações para seus clientes que então pagavam uma taxa mensal para acessar as aplicações por Internet.

Mas não foi até o final da década de 90 que cloud computing como conhecemos hoje começou a surgir. Foi neste período que a Salesforce introduziu no mercado sua aplicação de CRM desenhada especificamente para:
  • ser executada na "nuvem";

  • ser acessada pela Internet por meio de um navegador web;

  • ser usada por um alto volume de clientes simultaneamente com custo baixo.
Desde então a nuvem cresceu sem parar. Em 2013, o investimento mundial em serviços baseados na nuvem chegou a 47 bilhões de dólares. E este número está projetado para dobrar e ultrapassar os 100 bilhões de dólares em 2018 conforme as empresas aumentem seus investimentos em serviços na nuvem como a fundação de seus produtos novos e mais competitivos.

Curiosidade: desde os anos 80, quando a internet ainda nem pensava em se tornar o que é hoje, as pessoas já faziam muitos downloads. Esse jargão da tecnologia significa, em uma tradução livre, algo como “descarregar para baixo”; ou seja, desde os primórdios da computação, as pessoas traziam seus arquivos "de cima". Afinal, o que sempre esteve no nível mais alto sempre foram as nuvens.

Como funciona a computação na nuvem?

Muitas pessoas ainda acham que o conceito de cloud computing é algo difícil de entender e complicado. Porém, praticamente tudo que você consome atualmente na Internet — redes sociais, armazenamento de arquivos, streaming de vídeo e música — provém de aplicativos e serviços baseados na nuvem.

A ideia de guardar arquivos  em uma “entidade tecnológica” chamada nuvem surge do fato de que não se sabe exatamente onde os dados estão sendo armazenados ou processados. Eles podem estar em um servidor aqui mesmo no Brasil, do outro lado do mundo, no Japão, ou ainda nos dois locais ao mesmo tempo, um sendo cópia de segurança do outro. O verdadeiro advento é conseguir acessar esses dados pela internet, de qualquer lugar do mundo, mesmo que estejam armazenados a quilômetros de distância.

Como eles não estão em lugar fixo (como um servidor local na empresa, por exemplo), é possível que várias pessoas, de diversos locais, consigam interagir com aquele conteúdo guardado na nuvem, desde que tenham acesso autorizado e autenticado para tal. A atualização desses arquivos e processos também acontece em tempo real, já que estão conectados a internet, além da criação de backups periódicos.

Ainda existe a opção de adaptar os serviços disponibilizados na nuvem de acordo com a necessidade. Um exemplo comum e bem recorrente deste tipo de ação é aumentar o processamento de uma loja de comércio eletrônico quando ocorre alguma promoção ou data comemorativa. Desta forma, a empresa não fica limitada em momentos esporádicos e, ao mesmo tempo, não tem os custos de muitos servidores e computadores locais, que ficariam sem uso na maior parte do tempo.

CRM na nuvem e sua importância

Se o Pequeno Príncipe fosse um empreendedor moderno, provavelmente ele saberia muito bem como usar técnicas de CRM — afinal, ele sabe bem a importância de cativar as pessoas com quem ele se relaciona. Um dos fundamentos de CRM é coletar o maior número de informações sobre o cliente (incluindo seus contatos diretos com o negócio) e centralizá-los em um sistema para que se forme um panorama individual sobre o consumidor, permitindo um tratamento personalizado para a resolução de seus problemas. Se um procedimento assim já é eficiente quando é limitado a um servidor físico, ele se torna ainda mais eficaz quando está conectado à nuvem.

A capacidade de acesso remoto viabilizada por cloud computing permite ao CRM ter uma versatilidade imensa, principalmente quando se tem uma equipe fragmentada para usufruir dessas informações, como uma equipe de vendas. As informações de cada cliente podem ser acessadas por notebooks ou aplicativos móveis, por exemplo, enquanto o funcionário está viajando ou fazendo uma visita, dando flexibilidade ao processo como um todo.

É sempre bom lembrar que a nuvem permite ser aumentada ou reduzida de acordo com as exigências da sua empresa, permitindo o acesso de pequenas e médias empresas a esses sistemas de gerenciamento de clientes sem gastar muito, reduzindo custos e focando o potencial humano no que realmente importa: os consumidores e sua relação com o negócio. Além disso, por já estar na nuvem, ela consegue integrar-se a outros sistemas cloud facilmente, característica fundamental de um software dessa linha.



Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos este blog? Colabore com o autor clicando aqui!


0 comentários:

Quer Ajudar?

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...